Sobre Kinder

All I can do is be me. Whoever that is.

Gossip – Perfect World

Perfect World” é o primeiro single do novo álbum de estúdio da banda Gossip, A Joyfull Noise. Este será o primeiro álbum da banda de Beth Ditto desde Music For Men, de 2009. A faixa tem produção de Mark Ronson, que tem no currículo álbuns de artistas como Amy Winehouse, Lily Allen, Kaiser Chiefs e Duran Duran.

Foster the People – Call It What You Want

Difícil já não ter ouvido falar dessa banda. O som é um viajante-rock-indie-psicodélico e está música é sem dúvida uma das melhores produções deste álbum (lógico, não podemos perder de vista “Pumped Up Kicks”). Se não ouviu ainda, não perca tempo.

Lana Del Rey – Videogame

Ultimamente muito aparente na midia, Lana Del Rey é uma artista que tem divido opiniões e gerado discussões através de toda internet. Teve um dos desastres mais comentados quando se apresentou no Saturday Night Live. Porém, independente de tudo que falam, achamos aqui um som interessante, melancólico porém gostoso de se ouvir. Se você gostar, não terá muito com o que se decepcionar com o álbum “Born To Die”, todas as músicas são no mesmo estilo.

Jack White – Sixteen Saltines

Jack White é uma máquina de fazer ótimas músicas. Prestes a lançar o seu primeiro álbum solo, a faixa Sixteen Saltines, do álbum Blunderbuss é liberada. A música já começa com um forte riff de guitarra, identidade inconfundível de White e impressiona do começo ao fim.

Duran Duran – Girl Panic!

Está aqui uma música que deveria ter sido comentada a muito tempo neste blog. A música é vibrante como a maioria das músicas da banda Duran Duran. Mas o melhor mesmo é o videoclipe que é recheado de modelos internacionais como Naomi Campbell, Eva Herzigova, Cindy Crawford e Helena Christensen. Elas interpretam os integrantes da banda e todas estão sensulamente vestidas com lingeries de luxo. Duran Duran foi uma das primeiras bandas a colocar modelos nos clipes e neste, resolveram relembrar isto em grande estilo. O video você confere aqui:

Anúncios

A Playlist da Semana voltou! E agora, com novo nome – DP/FM – para começarmos a semana com uma das melhores coisas que existem, a música!

Yuck – Get Away

Yuck é uma revelação do ano passado que tem um som muito bom, com uma característica forte do rock dos anos 90. Uma boa pedida para iniciar esta semana. Apesar do nome, Yuck não é uma pessoa e sim uma banda, que ainda irá aparecer muito por aí este ano.

The Ting Tings – One by One

Ting Tings, já muito tocado e aprovado por este blog, estão de volta com um novo CD. Não esperem encontrar neste album o mesmo estilo feito anteriormente. Com intenção de sair do que já haviam criado, fizeram um novo trabalho surpreendente, com diversas influências, incluse com um pouco do CD anterior. Para ter um gostinho deste novo CD, fiquem com “One by One”, uma das minhas favoritas.

Zwan – Lyric

Zwan foi formada em 2001 como um projeto do vocalista do Smashing Pumpkins. A banda foi encerrada em 2004 e teve apenas um CD lançado. Lembra sim Smashing Pumpkins, porém com um som mais limpo e menos pretencioso.

PJ Harvey – A Place Called Home

PJ Harvey é uma cantora britânica, considerada como um dos ícones da música da década de 90. A maioria de seus trabalhos são criados como contos fictícios sobre vários temas e que exploram clima mais denso, estilo lo-fi. Apesar deste estilo, está é uma música que mostra toda variedade que a cantora busca em cada trabalho.

Noah And The Whale – 5 Years Time

Esta é uma daquelas bandas com som animado, que parece plantar alegria. Esta música possui elementos simples e gostosos de escutar – ukulele, palmas e assobios. O curioso nome surgiu da união do título de um dos filmes favoritos dos integrantes (The Squid and the Whale) e o diretor do mesmo (Noah Baumbach).

#Bonus_Track
Rihanna – We Found Love (feat. Calvin Harris)


Sinceramente, esta música já não mais novidade para ninguém, mas ela simplesmente não sai da cabeça! Muito burburinho surgiu com ela devido ao polêmico clipe, que parece retratar o antigo relacionamento da cantora com seu ex (talvez novamente atual) Chris Brown. A música conta com a participação do DJ Calvin Harris, que também foi responsável pela produção e composição.

Playlist da Semana

The Soft Pack – Answer To Yourself

Para começar a semana uma música com estilo de rock de garagem e bastante energia positiva! Não importa se o dia está ensolarado ou nublado, o negócio é se animar pois a semana está apenas começando. A banda é original de San Diego e possuia no início o curioso nome de The Muslims, porém devido a comentários negativos a banda mudou o nome. Ótima música para começar a semana!

Fight Like Apes – Captain A-Bomb

Fight Like Apes são uma banda de rock alternativa de Dublin, Irlanda. Eles possuem um som muito bacana e uma característica interessante: Eles utilizam como títulos da maioria de suas músicas títulos de filmes B (que faziam parte de sessão duplas, sendo sempre o 2º a ser exibido pois tinham um orçamento de produção menor). Eu gosto muito da brincadeira no começo desta música – Me lembra muito dos desenhos super antigos do Mickey (quando ainda eram PB).

Moby – Shot in the Back of the Head

Uma observação antes de qualquer comentário: Se você tem um fone de ouvido, o coloque e escute essa música alto. A música possui sintetizadores pesados e um padrão de batida que se repete várias vezes. Parece simples, a sensação ao escutar é única. Esta música possui um clipe super estranho que foi dirigido pelo David Lynch.

The Naked and Famous – Punching in a Dream

The Naked and Famous é uma banda de rock neozelandesa. Uma mistura de rock, indie e eletro compõem um som psicodélico vibrante e dançante. Esta é uma banda que, se ainda não conhece, vale a pena escutar.

Vampire Weekend – Giving Up The Gun

O Vampire Weekend é uma banda de indie Rock de Nova York que tem influência (acreditem ou não) da música popular africana e música ocidental clássica. São estas influências inusitadas que dão o toque único a banda e ao som super original. Esta é uma música com melodias simples e gostosa de se ouvir.

Playlist da Semana

The Drums – Let’s Go Surfing

Segunda, a caminho do trabalho imaginei – Poxa, poderia estar na praia!. Sinceramente eu imagino isso direto…rs. Se você compartilha também desta vontade esta é a sua música hoje. The Drums é uma banda que segue uma proposta muito praiana. Let’s Go Surfing é prova disso, com um som relaxado e bem descontraído. Outra parte fundamental é o assobio viciante, que gruda fácil na mente (eu disse viciante).

Amanda Blank – Make It, Take It

Make it, Take it  é agitada e gostosa de escutar, acompanhada da voz única de Amanda Blank. Ela é cantora e rapper, e busca influencia em diversos estilos: Brit Pop, 80s, dance, new wave, pop e por vai.  Vale a pena conferir.

Filthy Dukes – This Rhythm

This Rhythm é uma música com uma pegada forte de synthpop, um estilo que marcou presença nos 80s. O Filthy Dukes é um projeto dos DJs britânicos Olly Dixon e Tim Lawton. Escute esta com um fone de ouvido e bem alto, viaje.

The Ting Tings – Great DJ

Ting Tings é formado pelo dueto Katie White (guitarra e vocal) e Jules De Martino (bateria e backing) e só. Outros instrumentos e sons ficam por conta de samplers e sintetizadores. Esta música é uma das minhas favoritas desta banda, sendo super simples e ao mesmo tempo muito demais.

Beady Eye – Three Ring Circus

Beady Eye é uma banda nova formada por ex-integrantes do Oasis após a saída do ex-vocalista Noel Gallagher. As influências dos 60s e 70s são tão explicitas que a impressão é de já ter escutado esta música antes. Principalmente por ser praticamente o Oasis.

Playlist da Semana (Especial 70s)

Vamos começar este post diferente dos outros. Músicas novas são sempre bem-vindas, mas que tal algo mais retro? Para a Playlist desta Semana selecionei 5 grandes músicas diretamente do incrível mundo dos anos 70. Uma tarefa difícil, eu sei. Tentei diferenciar bastante entre cada uma, espero que gostem! :D

The Rolling Stones – Sympathy For the Devil

A controversa “Sympathy for the Devil” foi composta por Mick Jagger após uma visita ao Brasil. Mas foi Keith Richards quem sugeriu o ritmo, que lembra um samba. Ela motivou várias acusações de satanismo feitas contra a banda. Entretanto, a música conta mais sobre como somos corruptíveis por dinheiro, como somos muitas vezes movidos por sentimentos errados e como eles nos levam a agir. Enfim, se trata mais sobre uma crítica ao ser humano no geral, assumindo um ponto de vista externo, que fica claro ao escutar a música. Para quem se lembra do excelente filme “Entrevista com Vampiro”, esta é a música que toca no final.

Queen – A Kind Of Magic

Descrição simples: Uma das maiores e melhores bandas que este planeta já viu! Não é exagero, Queen é uma banda dos anos 70 que dura até hoje, seja em trilhas de filmes, comerciais, seja em covers, enfim, ela é lembrada em qualquer tipo audio-visual. É uma pena o vocalista Freddie Mercury ter morrido. Foi um dos primeiros casos de morte decorrente da AIDS de uma pessoa famosa que assumiu a doença.

Bob Dylan – Hurricane

As músicas de Bob Dylan e suas ideias estão muito a frente do seu tempo. Coloque em um liqüidificador rock ‘n roll, blues, country, folk e poesia. Pronto, terás Bob Dylan. Hurricane é uma música de protesto, sobre a prisão indevida de do boxeador Rubin “Hurricane” Carter. Nela ele descreve a acusação injusta e os atos de racismo contra Carter. Os personagens citados na canção são reais. Rendeu até um filme com Denzel Washington. A música é muito boa!

The Cars – Just What I Needed

Na onda do movimento New Wave do final dos anos 70″ a banda The Cars emplacou nas paradas de sucesso da época com uma música que tem a cara daquela década. Basta fechar os olhos para imaginar jaquetinhas de couro, calça jeans bem justa, saias rodadas com bolinhas. Quase uma viagem no tempo. Segundo rumores de alguns sites a banda voltou a formação original e irá lançar um novo album este ano (com excessão do vocalista Benjamin Orr que morreu em 2000 de câncer).

Blue Öyster Cult – (Don’t Fear) The Reaper

“Seasons don’t fear the reaper. Nor do the wind, the sun and the rain (we can be like they are).” Sinceramente, eu não consigo explicar porquê eu gosto tanto dessa música. Ela tem um tom mais macabro se comparado com as outras nesta playlist, mas é notável como toda a parte instrumental está em plena harmonia com a letra. Eu não podia deixar esta de fora dessa playlist anos 70″.

Playlist da Semana

The Black Keys – Tighten Up

Já notaram como músicas com assobio no começo têm, geralmente, tudo para serem boas? É o caso de Tighten Up, uma música genial com riffs certeiros, ótimas batidas de bateria e blues disfarçado.

Blonde Redhead – Elephant Woman

Um som bem alternativo e marcante através dos vocais Kazu Makino. Uma música que passa uma estranha sensação de serenidade. Conheci a banda ao assistir o filme MeninaMá.com, que fez parte da trilha do filme.

The Libertines – Time For Heroes

A muito tempo atrás um amigo me perguntou mostrando um CD – “Cara, já escutou Libertines?” Desde esta apresentação que eu não consigo ficar sem escutar hora ou outra. O grupo lançou apenas 2 CDs, muito bons por sinal. Se você não escutou, terá uma noção do que era a banda apenas com esta música. Peter Doherty (vocalista) é famoso no mundo da música, foi ex da supermodelo Kate Moss e era mutio amigo de Amy Winehouse.

The Killers – Read My Mind

The Killers dispensa qualquer apresentação. Adoro esta música, uma das minhas favoritas da banda. Sensação de felicidade garantida!

Fyfe Dangerfield – She Needs Me

Piano, violinos e uma voz afinadissíma. Arranjos orquestrais em uma música que esbanja amor e alegria em cada verso.

Playlist da Semana

The Strokes – Under Cover of Darkness

Depois de um hiato de quase 5 anos sem lançar um disco, os Strokes fizeram finalmente um grande retorno com este single que traz tudo que caracteriza a banda: guitarras evidentes e a voz distorcida de Julian Casablancas. A música é bem parecida com tudo que o Strokes já fez, mas isso é o que faz eles serem únicos. Para quem acha que nunca escutou Strokes, esta é uma bela introdução a banda.

Arrah and The Ferns – Bernadette

Uma das bandas para se arquivar em “bandas independentes fáceis de adorar”. Uma combinação de banjo, mandolin e confissões inocentes. Inocentes porém com reflexões maduras sobre a natureza dos relacionamentos. Vale a pena escutar. Só acho uma pena que a banda se desfez.

Portishead – Glory Box

Para quem tem um pouquinho mais idade, talvez se lembre de um comercial antigo da CVV que mostrava uma garota que caminhava mar a dentro até que sumisse completamente. Comercial deprê, mas com uma música que não me saia da cabeça. Foi assim que eu conheci a Glory Box do Portishead. Batidas pesadas em um tom lento (característica do estilo musical Tri-Hop) e uma letra que trata sobre insegurança. Conjunto dramático que ainda assim forma uma música fantástica!

Mark Ronson – Stop Me

Mark Ronson (produtor de vários grandes nomes, como Amy Winehouse) em parceria com Daniel Merriweather (vocal) são os responsáveis por este cover maravilhoso – A versão original é do Smiths. A diferença nos arranjos é grande – com toques Soul e instrumentos de sopro – que só reforçam toda a competência do produtor. E fica aqui um cálculo fácil para entender porquê vale escutar: ótima música + ótimos artistas = ótimo cover.

Yeah Yeah Yeahs – Y Control

YYYs, se ainda não conhece, vai passar a gostar. O estilo da banda é uma mistura de elementos retro com guitarras ao estilo punk rock. Muitas bandas também tem mistura assim, mas nenhuma tem Karen O no vocal. Ela faz toda diferença, com estilo único e uma voz que fica na cabeça. ps: Vale a pena procurar o videoclip dessa música no YouTube, mesmo sendo meio perturbador.