A Silhueta da Balmain

Existem marcas e marcas. Daquelas que vemos o que fizeram na última coleção da passarela porque rolou um burburinho e aquelas que nós aguardamos ansiosamente a próxima coleção.
Já descrevi aqui minha vontade de ser milionária e viver de Balmain, aliás milionária e magra, porque né, não dá pra usar os minis com perninhas de “Mulher Fruta”.
Pois bem, Olivier dessa vez tomou como inspiração um Ovo Fabergé que foi dado a Elizabeth Taylor e trouxe um trabalho com perólas maravilhoso. A silhueta contava com calças skinny e flare, saias lápis e muita jaqueta oversized, um shape quadrado contrapondo com os minis justíssimos da marca. Muito veludo, muito bordado com pérolas e muito couro, como a gente sabe que a Balmain adora.



O que dá pra ver é que Rousteing está sabendo conduzir a Balmain sem (me) decepcionar. Achei o trabalho com os bordados em couro maravilhoso, super cuidadoso e obviamente uma fortuna, até porque a Balmain é conhecida por preços absurdos. Aliás, uma das jaquetas acima (a terceira foto) é considerada a mais cara feita pela marca até hoje, se alguma fast fashion fizer algo similar a gente agradece, de coração.

Fotos: Style.com

Sneaker Couture

Não é lá muita novidade pra ninguém que se eu pudesse eu seria uma centopéia, além do amor por sapatinhos eu já comentei aqui no blog sobre minha paixonite por sneakers.
O negócio é que atualmente marcas, que normalmente não fariam tênis, vem investindo nos modelos e vemos mais e mais nos pés de quem gosta desses calçados ou curtem muito uma tendêncinha.

De Lanvin a Miu Miu, passando por Chloé, Isabel Marant e incontáveis outras, essas marcas vem apresentando modelos cheios de informação: brilho, snake print, tachinhas, rendas e, em alguns casos, tudo junto, misturado e com plataforma. E a gente adora.


E pra não ficar na vontade, porque o preço de cada par as vezes é fora da nossa realidade, a dica é procurar os modelos da linha Premium da Converse ou mesmo a FlatsCo, que tem modelos “inspired”nos Super Sparkly Shoes da Miu Miu e são bem confortáveis. Caso você mande bem no DIY, seguir alguns tutoriais pela internet pra customizar seu próprio modelo, ou, na última hipótese esperar um pouquinho, logo mais a gente encontra na Zara mais próxima um modelo que nos agrade, num preço digno.

Moda, tendência e individualização

Hoje é terça e eu sei que alguns de vocês esperavam um Top 5 hoje, ele sai na quinta sem falta e bem especial.

Mas agora eu queria falar de um assunto até meio batido, mas que voltou a me incomodar uns dias atrás, especialmente ontem, depois de um comentário aqui na sala de trabalho e de ler um texto em um blog xis.
A gente sabe que a cada coleção é muita informação nova, que a cada F5 num blog ou num site é uma trend nova, que entre um milhão de coisas novas que a gente assimila todo dia, algumas delas vão acabar fazendo parte da nossa personalidade. E é a partir disso que vem minha pergunta: Quão importante é a questão do ‘individuo’ na moda?
Explicando por cima, alguns dias atrás eu li em algum blog sobre look do dia, falando mais ou menos assim “esse look é totalmente minha cara”, e comparando com as coisas que a pessoa em questão usava era meio distoante sabe?
Acho legal você mesclar estilos, mas existem detalhes que sutilmente imprimem a personalidade daquele que está usando uma peça de roupa.
Você pode querer usar o mesmo vestido que a Olivia Palermo usou porque ficou lindo nela (ok, o que não fica? né?), mas você pode usá-lo do seu jeito. Um comparativo pra vocês entenderem o que eu digo é essa foto:

Blair Waldorf (personagem ficticio) e Olivia Palermo (pessoa de verdade) usando o mesmo vestido da Benoni. Olha como a Olivia imprimiu a personalidade dela, pro evento em questão, no vestido.
O que me incomoda é quando voce vê um exército de pessoas vestidas iguais, mudando apenas as peças: quantos looks do dia de color blocking ou saia longa você já contou hoje em diferentes blogs sobre o assunto? E desses, quantos deles tinham algum detalhe que mostravam a personalidade da pessoa em questão?
A gente precisa lembrar sempre no ato de vestir, que a roupa/imagem é um dos primeiros meios de comunicação. Sim, antes mesmo de uma conversa você já foi analisado pelo que está vestindo e a pessoa pode ter formado uma opinião a respeito de você (não que ela seja imutável, mas primeira impressão é importante).
Então, ao ter tanta informação pra passar logo de cara pro mundo, o quanto você se importa em ser um individuo e expor sua personalidade? Ou você prefere entrar pro exército uniformizado das chamadas tendências?

365 dias com o mesmo vestido e muita personalidade.

Fotos: Reprodução

Top 5: Filmes relacionados a Moda

Cinema entra fácil entre as minhas paixões. Já me dediquei mais: assistir todos indicados aos oscar de melhor filme (e geralmente de melhor figurino), assistir muitos clássicos (eu adoro filmes antigos) e passar o fim de semana vendo filmes em casa. Hoje vejo um ou outro e me sinto bem culpada por isso.
O top 5 da semana trata de filmes de moda e selecionar CINCO de uma lista de vários que eu indicaria por ter visto e por saber que se encaixa com moda de alguma maneira é quase impossível. Leia bem, os cinco daqui eu já vi, então sintam-se a vontade pra indicar filmes pra eu ver, que eu adoro!
Eu não sou uma especialista, então contei com uma ajudinha do google pra lembrar quem já levou Oscar de melhor figurino, sem ser redundante pra falar só da importância da Edith Head como figurinista, então vem comigo que o post vai ser longo!

#5 – The Fifth Element – O Quinto Elemento (1997)

Logo de cara você pode me chamar de maluca por indicar um filme de ficção científica francês enquanto eu falo de figurino… Mas quem veste a mocinha Mila Jovovich, Bruce Willis e Gary Oldman (além de todos outros personagens do filme) é Jean-Paul Gaultier.
Toda estética futurista dos personagens é planejada por ele. E pode falar que o macacão da Mila parece um monte de fita adesiva no corpo, mas isso não impediu a Rihanna de sair vestida (quase) como ela em 2009.

#4 – Pretty in Pink – A Garota de Rosa Shocking (1986)

Dificilmente você acha esse filme em qualquer uma dessas listas de filmes de moda, mas além de ser um classico sessão-da-tarde-água-com-açúcar com uma trilha sonora muito boa, o filme traz sua protagonista como uma garota com estilo bem diferente do convencional (até pros anos 80).
Andy Walsh (a protagonista interpretada por Molly Ringwald) era adepta a fazer suas próprias roupas, incluindo seu vestido do baile de formatura. Logo você vai se surpreender com um figurino um pouco exótico em algumas horas, mas com muito sentido.

#3 – Zuzu Angel (2006)

Esse é nacional e acho que foi um do primeiros filmes que eu vi que retratavam de alguma maneira moda daqui, que não fosse com desfiles em filmes da Xuxa e coisas do tipo.
Ele é um drama que conta história da estilista brasileira Zuzu Angel na época da ditadura, quando seu filho foi capturado e torturado por militares e ela assassinada num acidente forjado.
O figurino corresponde muito bem aos anos 70 que o filme se passa e mostra até como ela produzia suas roupas e mantinha seu processo criativo no meio de todo caos que sua vida estava passando.
Eu indico sempre que posso e já revi algumas vezes.

#2 – Marie Antoinette – Maria Antonieta (2006)

Eu não queria incluir esse filme na lista, confesso. Mas é de fato um dos meus filmes de moda favorito, não só pelos figurinos, cupcakes e trilha sonora, mas porque sou apaixonada pela estética do filme e pela história de Maria Antonieta (e sua influência e ligação na moda).
E merecidamente ele ganhou Oscar de melhor figurino. Merecidamente mesmo, todo cuidado pra criar roupas do século XVIII, além de um all star perdido propositalmente por uma centena de sapatos. As cores e estampas desenvolvidas para o filme eram pensados segundo os momentos que a personagem viveria, além da fase da ‘campestre’ que a personagem teve. Nesse site você encontra boa parte do figurino, mas uma dica, só abra se tiver tempo!

#1 – Sabrina – Sabrina (1954)

Audrey Hepburn é uma das minhas musas desde muito tempo, então seria muito chato eu querer colocar todos filmes que Givenchy fez o figurino aqui… Mas esse além de ganhar Oscar de melhor figurino tem uma história engraçadinha por trás do mesmo.
Na verdade verdadeira o figurino desse filme é assinado por Edith Head, a tal figurinista famosérrima dita ali em cima. E diz que ela não gostava de vestir a Audrey, ela era magra, alta e sem muitos atributos, mas aprendeu a valorizar as saboneteiras da atriz (!!!)
A parte engraçadinha da história é que os vestidos na verdade foram desenhados por Givenchy (e todo mundo sabe disso hoje) mas na época quem recebeu os créditos (e o Oscar) foi Edith Head.
Pra entenderem porque essa figurinista é tão conhecida: ela recebeu 8 vezes a estatueta de melhor figurino, sendo indicada 35 vezes para o prêmio e dizem alguns comentários que a personagem Edna Moda, do filme Os Íncriveis da Disney, foi inspirada nela, acho fofa a homenagem!

Como eu disse, eu não queria ser repetitiva, por isso Bonequinha de Luxo ou o Diabo Veste Prada não estão na lista.
São importantes e adoro ambos (acredite, sei trechos de cor dos dois filmes e meus dvds devem estar riscados já), mas acho que existem muitos outros que deveriam ser vistos! Tanto pela relevância de figurinistas quanto pelas marcas que aparecem.
E como eu disse, me indiquem filmes, eu gosto mesmo de ver e se possível ter alguém pra poder comentar depois!

Fashion to Follow…

Sou meio viciada em plataformas sociais, meio não, relativamente bastante se você considerar que nem trabalho com o assunto. É tipo um problema porque perfis em redes sociais não atualizadas são bem denecessários, mas o foco do texto não é esse.
De todas redes sociais focadas em moda as que eu mais gosto são o lookbook e looklet, e já usei muito o polyvore, numa era distante mesmo (tipo 2007 ou 2008), se você digitar meu nome lá provavelmente encontrará meu perfil, mas de novo, esse não é o foco.
Como eu falei alguns dias atrás o quanto eu me interesso por marketing de moda e quanto eu acho super legal o fato de algumas marcas apostarem em redes sociais, eu vim hoje listar alguns dos meus favoritos, que incluem tumblrs e contas de instagram.
Convenhamos que é super legal você acabar conhecendo um pouquinho de “backstage de todo dia” das marcas/empresas que a gente mais admira, não é?

M-C-Q
A conta no tumblr do McQueen.
Ali existem fotos de making of, links para videos do youtube, campanhas feitas e muita informação ‘extra oficial’ que vale a pena a gente ver.
Super indico!

Terry´s Diary
Pra quem se interessa por fotografia de moda, ou pelo menos pelo trabalho de Terry Richardson esse é o tumblr onde ele publica algumas fotos… trabalhos ou não é muito bacana de acompanhar.

Vogue
Não precisa comentar muito né? Eu gosto de ver o tumblr porque nem sempre sou muito paciente com o site da vogue… principalmente em dias de acompanhar pelo celular e o 3g não tá de bom humor…
As fotos são redirecionadas pro site pra gente ver todo conteúdo daquele assunto, melhor que o reader do google as vezes!

Kate Spade
O tumblr da Kate Spade foi um dos primeiros de marca que eu comecei a seguir, adoro a marca, acho encantador o modo como eles trabalham e sempre tem fotos fofas, seja de produtos, clientes, campanhas ou making of.

O instagram da Burberry é um luxo, mas como eu não uso iphone/ipad/ipod não sigo… pra não perder as fotos legais é só seguir a marca no twitter ou visualizar as fotos pelo webstagram.

A Gucci também é adepta ao instagram e também da pra ver as fotos via web por aqui.

Aqui do Brasil a marca que eu mais admiro em questões de rede sociais é a Farm, o Adoro!, blog da marca, é uma fofura e lá você encontra todas redes sociais que a marca usa (e muito bem!)

E vocês têm alguma marca favorita com tumblr ou outra rede? E já segue a gente no tumblr?

Heel Condoms, what?

É, você não leu errado são “camisinhas” pro salto. Eu sei que aqui não é um blog só de sapatos mas eu achei curioso, inovador – e meio ousado no nome – mas muito útil pra dar um charme naquele sapato sem sal e velhinho esquecido no guarda roupas.

A Heel Condoms é uma marca de “protetores” decorativos pra saltos de sapato. Na verdade proteger é a última de suas funções, a dona da marca, formada em finanças e com 23 anos, abriu a empresa com a intenção de vestir seus sapatos: “if we dress up, why not dress up our shoes”, o nome veio como idéia de marketing, segundo o site eles precisavam de um nome que marcasse, ficasse na cabeça independente de você gostar ou detestar a idéia.

Heel Condoms para Desfile da Rodarte

Bom eu super aprovo, achei mais interessante que os protetores de salto lançados pela Arezzo aqui no Brasil uns anos atrás. E o mais legal, o site entrega pro mundo todo! É a evolução sapatoneística em um clique  a partir 20 doláres.