A Silhueta da Balmain

Existem marcas e marcas. Daquelas que vemos o que fizeram na última coleção da passarela porque rolou um burburinho e aquelas que nós aguardamos ansiosamente a próxima coleção.
Já descrevi aqui minha vontade de ser milionária e viver de Balmain, aliás milionária e magra, porque né, não dá pra usar os minis com perninhas de “Mulher Fruta”.
Pois bem, Olivier dessa vez tomou como inspiração um Ovo Fabergé que foi dado a Elizabeth Taylor e trouxe um trabalho com perólas maravilhoso. A silhueta contava com calças skinny e flare, saias lápis e muita jaqueta oversized, um shape quadrado contrapondo com os minis justíssimos da marca. Muito veludo, muito bordado com pérolas e muito couro, como a gente sabe que a Balmain adora.



O que dá pra ver é que Rousteing está sabendo conduzir a Balmain sem (me) decepcionar. Achei o trabalho com os bordados em couro maravilhoso, super cuidadoso e obviamente uma fortuna, até porque a Balmain é conhecida por preços absurdos. Aliás, uma das jaquetas acima (a terceira foto) é considerada a mais cara feita pela marca até hoje, se alguma fast fashion fizer algo similar a gente agradece, de coração.

Fotos: Style.com

Anúncios