TOP 5: NYFW

Eu posso até comentar dos desfiles que mais gostei da NYFW depois, por hora vou falar sobre os sapatinhos que eu mais gostei das passarelas e talvez por consequência influenciem nos meus desfiles favoritos, ou não, gostei de alguns que os pézinhos não favoreciam, mas a vida segue não?

Um comentário necessário, olhando todos desfiles mesmo que sem um olhar critico, eu percebi que muitas marcas levam ao pé da letra o tal “ready to wear”, tão comercial que você conseguiria tirar da passarela e sair pra rua usando naquele exato momento, o que pode soar meio chato eu admito, mas em alguns casos funciona (alô Anna Sui, quero metade da coleção no armário! Beijos).

Enfim, foco!

#5 – Jeremy Scott

Li um release no Style.com antes de começar a escrever sobre ele, porque ao ver as fotos do desfile juro que cantava mentalmente “sweet home alabama” só que numa voz meio Woody de Toy Story…

Em partes eu não estava tão errada, pelo que entendi Jeremy cresceu em algum lugar de Missouri e isso influenciou na coleção: Greetings from Paradise, inclusive tinha até um vestido-cartão-postal que parecia ter fugido do Havaí que vemos em desenhos animados… Os sapatos, alguns de parceria com a Adidas eram dignos de desenhos animados (e confesso que por mim usaria, mas eu sou sempre a exceção)!

#4 – L.A.M.B

Sou suspeita porque eu gosto bastante da marca, mas boa parte dos calçados não me agradaram, exceto por esses: cores bem verão e dignas de serem usadas agora no nosso país!

Sem contar que ando amando essas sandálias pesadas coloridas, vocês não?


#3 – Derek Lam

São modelos clássicos, perfeitos pra gente usar em trabalhos, eventos sociais e todo lugar, com um diferencial necessário: texturas e materiais diferentes! É muito amor e vontade de ter um de cada fácil no armário.

#2 – Oscar de la Renta

Oscar de la Renta sempre me lembra um episodio de Sex and the City, onde a Carrie tinha gostado de um vestido e aquele russo mega charmoso dá de presente pra ela e ainda diz que o estilista é seu amigo e o chama de ‘Oscar’…

No mundo real a gente sonha com as saias volumosas e a inspiração 70’s do estilista! Nos calçados cores, o styling com meia e open shoes (vocês viram quantas marcas usaram desse truque?) e plastico! Queria muito um de cada pra mim, quem me conhece sabe que eu super usaria!

#1 Anna Sui

Eu admito que achei bem comercial o desfile, mas me vi usando muitas estampinhas da marca, me lembrou muito da Moschino e o coração que foi hit na última estação e os calçados da coleção da Miu Miu com bolinhas e etc…

O ‘Espadrille’ com cerejinhas ganhou meu amor! O oxfordzinho diferente também, só o salto não favoreceu muito mas a gente entende que nem tudo são flores… ou não…. na Anna Sui são flores, corações e borboletas (até nas meias calças)…

Fotos: Reprodução

Anúncios

Top 5: Personagens de Novela

Pra essa semana eu pensei em outro Top 5, mas confesso que achei tão batido que procurei outro tema.
Dai como hoje tem final de novela, e o batom da Dona Norma foi tão procurado nos blogs de moda quanto saber quem matou a coitada, eu resolvi escrever sobre cinco personagens de novela que pra mim são referência quanto a moda. Lembrando que só vale novela, e que obviamente vou comentar o que eu assisti pelo menos alguns trechos, aka não sou noveleira gosto da primeira e da última semana e assisto se tem babado forte no meio.

#5 Melina, Passione
Na série novelas com personagens que trabalhavam com moda, eu definitivamente não via graça na modelo Helena de Viver a Vida, figurino lindo bem carioca mas nada que eu babasse. Já a Melina de Passione vale fácil um quinto lugar: rock’n’roll com classe, muito estilo com cabelinho bem anos 20 e um batomzão vermelho. Eu já adorava o estilo da atriz Mayanna Moura e a banda também, o personagem só me fez curtir mais.

#4 Jaqueline, Jacques e Victor Valentim, TiTiTi
Ainda na linha novelas com moda a primeira edição de TiTiTi eu não assisti, mas a última o que deu pra acompanhar eu acompanhei e dali, por mim, saíriam vários que poderiam ser lembrados. Não vou comentar da wannabe Tavi, meus figurinos favoritos eram da Claudia Raia como a (praticamente perua) Jaqueline e da inspiração Galianesca de Victor Valentim. Ok, os lencinhos do Jacques Leclair também me conquistaram. Vale o quarto lugar pra novela toda.

#3 Jade, O Clone
Não sei nos padrões do Marrocos ou whatever, mas diz a lenda que a Jade, da Giovanna Antonelli em O Clone era muito entendida de moda. Ou pelo menos, aqui no Brasil criou moda. Merece o terceiro lugar só porque eu gosto de lenços e muito ouro, Inshalá. haha.

#2 Julia, Dancin´ days
O segundo lugar é referência pro fim dos anos 70, vi trechos de reprises pra fazer trabalhos de faculdade, mas se você nunca ouviu sobre a fama do lurex e das meias com sandália, no mínimo você não nasceu no Brasil. Dancin’ Days passou em 1978, mas eu nasci só dez anos depois e ainda assim ouvi falar de As Frenéticas e Sonia Braga, fica como segundo lugar porque ano passado estava em alta usar meias com sandálias de novo.

#1 Viúva Porcina, Roque Santeiro
O primeiro lugar também passou antes de eu nascer (1985), mas eu assisti quando teve reprise a tarde. Viúva Porcina é um ícone, até quem nunca assistiu a novela sabe da personagem interpretada por Regina Duarte em Roque Santeiro. Digna de um estilo nem um pouco minimalista (e clássico nos anos 80, convenhamos) é referência até hoje no exagero de acessórios. Turbantes e laços gigantes na cabeça também compunham o visual da personagem, valendo uma dica na mesma época Madonna também super abusava desses.

 Fotos: Reprodução

Top 5: Filmes relacionados a Moda

Cinema entra fácil entre as minhas paixões. Já me dediquei mais: assistir todos indicados aos oscar de melhor filme (e geralmente de melhor figurino), assistir muitos clássicos (eu adoro filmes antigos) e passar o fim de semana vendo filmes em casa. Hoje vejo um ou outro e me sinto bem culpada por isso.
O top 5 da semana trata de filmes de moda e selecionar CINCO de uma lista de vários que eu indicaria por ter visto e por saber que se encaixa com moda de alguma maneira é quase impossível. Leia bem, os cinco daqui eu já vi, então sintam-se a vontade pra indicar filmes pra eu ver, que eu adoro!
Eu não sou uma especialista, então contei com uma ajudinha do google pra lembrar quem já levou Oscar de melhor figurino, sem ser redundante pra falar só da importância da Edith Head como figurinista, então vem comigo que o post vai ser longo!

#5 – The Fifth Element – O Quinto Elemento (1997)

Logo de cara você pode me chamar de maluca por indicar um filme de ficção científica francês enquanto eu falo de figurino… Mas quem veste a mocinha Mila Jovovich, Bruce Willis e Gary Oldman (além de todos outros personagens do filme) é Jean-Paul Gaultier.
Toda estética futurista dos personagens é planejada por ele. E pode falar que o macacão da Mila parece um monte de fita adesiva no corpo, mas isso não impediu a Rihanna de sair vestida (quase) como ela em 2009.

#4 – Pretty in Pink – A Garota de Rosa Shocking (1986)

Dificilmente você acha esse filme em qualquer uma dessas listas de filmes de moda, mas além de ser um classico sessão-da-tarde-água-com-açúcar com uma trilha sonora muito boa, o filme traz sua protagonista como uma garota com estilo bem diferente do convencional (até pros anos 80).
Andy Walsh (a protagonista interpretada por Molly Ringwald) era adepta a fazer suas próprias roupas, incluindo seu vestido do baile de formatura. Logo você vai se surpreender com um figurino um pouco exótico em algumas horas, mas com muito sentido.

#3 – Zuzu Angel (2006)

Esse é nacional e acho que foi um do primeiros filmes que eu vi que retratavam de alguma maneira moda daqui, que não fosse com desfiles em filmes da Xuxa e coisas do tipo.
Ele é um drama que conta história da estilista brasileira Zuzu Angel na época da ditadura, quando seu filho foi capturado e torturado por militares e ela assassinada num acidente forjado.
O figurino corresponde muito bem aos anos 70 que o filme se passa e mostra até como ela produzia suas roupas e mantinha seu processo criativo no meio de todo caos que sua vida estava passando.
Eu indico sempre que posso e já revi algumas vezes.

#2 – Marie Antoinette – Maria Antonieta (2006)

Eu não queria incluir esse filme na lista, confesso. Mas é de fato um dos meus filmes de moda favorito, não só pelos figurinos, cupcakes e trilha sonora, mas porque sou apaixonada pela estética do filme e pela história de Maria Antonieta (e sua influência e ligação na moda).
E merecidamente ele ganhou Oscar de melhor figurino. Merecidamente mesmo, todo cuidado pra criar roupas do século XVIII, além de um all star perdido propositalmente por uma centena de sapatos. As cores e estampas desenvolvidas para o filme eram pensados segundo os momentos que a personagem viveria, além da fase da ‘campestre’ que a personagem teve. Nesse site você encontra boa parte do figurino, mas uma dica, só abra se tiver tempo!

#1 – Sabrina – Sabrina (1954)

Audrey Hepburn é uma das minhas musas desde muito tempo, então seria muito chato eu querer colocar todos filmes que Givenchy fez o figurino aqui… Mas esse além de ganhar Oscar de melhor figurino tem uma história engraçadinha por trás do mesmo.
Na verdade verdadeira o figurino desse filme é assinado por Edith Head, a tal figurinista famosérrima dita ali em cima. E diz que ela não gostava de vestir a Audrey, ela era magra, alta e sem muitos atributos, mas aprendeu a valorizar as saboneteiras da atriz (!!!)
A parte engraçadinha da história é que os vestidos na verdade foram desenhados por Givenchy (e todo mundo sabe disso hoje) mas na época quem recebeu os créditos (e o Oscar) foi Edith Head.
Pra entenderem porque essa figurinista é tão conhecida: ela recebeu 8 vezes a estatueta de melhor figurino, sendo indicada 35 vezes para o prêmio e dizem alguns comentários que a personagem Edna Moda, do filme Os Íncriveis da Disney, foi inspirada nela, acho fofa a homenagem!

Como eu disse, eu não queria ser repetitiva, por isso Bonequinha de Luxo ou o Diabo Veste Prada não estão na lista.
São importantes e adoro ambos (acredite, sei trechos de cor dos dois filmes e meus dvds devem estar riscados já), mas acho que existem muitos outros que deveriam ser vistos! Tanto pela relevância de figurinistas quanto pelas marcas que aparecem.
E como eu disse, me indiquem filmes, eu gosto mesmo de ver e se possível ter alguém pra poder comentar depois!

Top 5: Parcerias Inusitadas

Confesso, esse não era o tema planejado pra essa semana (aka semana passada), mas estava sofrendo bloqueio criativo pra terminar o outro post e hoje estava afim de trabalhar um pouco a memória afetiva modisticamente falando (minhas e de vocês).
Então segue minha listinha de parcerias favoritas entre pessoas de moda em outras áreas, e áreas correlatas colocando os dedinhos pra trabalhar fashionisticamente falando.

#5 Alexandre Herchcovitch para Zêlo, para Tok&Stok (e pra uma coleção de outras marcas)
Eu sei que o Herchcovitch é o rei dos licenciados, e se tratando de mercado acho isso importantissimo.
Ele ja criou produtos pra Zêlo, alias, cria, tem sua linha lá, pra tok&stok, pra melissa e recentemente até pra copo de requeijão.
Gênio, eu diria, conseguiu estar em diferentes frentes e não é a toa que tem o reconhecimento merecidíssimo aqui no Brasil (e fora dele também).

#4 Zaha Hadid e Gaetano Pesce para Melissa
Ambos são arquitetos de diferentes nacionalidades e ambos criaram um produto para marca mais conhecida de jelly shoes do mundo.
Gaetano Pesce criou a Fontessa pra coleção Amazonista (2010), uma ankle boot rasteira customizável só com uma tesoura.
Já a Zaha Hadid criou seu modelo em 2009 e junto a loja conceito recebeu uma edição gigante do modelo.
Os modelos são inspirados nos trabalhos dos respectivos arquitetos e ganharam hot sites especiais além de aumentarem a visibilidade da marca lá fora.

#3 Bookmarc – A livraria e papelaria do Marc Jacobs
Que Marc Jacobs domina metade (ou quase lá) da Bleeker Street a gente sabe, e o que foi super noticiado ano passado foi a inauguração do seu novo empreendimento,
A BookMarc, uma livraria e papelaria toda moderninha que mantém um aspecto vintage. Contráditório, eu sei, mas eles oferecem além de livros de arte, fotografia, design e biografias, opções de materiais de papelaria personalizados como os cadernos com trocadilhos de nomes de best-sellers (fiquei apaixonadinha pelo Breakfast at Bleeker’s).
A idéia de abrir a livraria veio do costume de oferecerem livros pros clientes verem, durante suas compras, na minha opinião deu super certo.

#2 CDFH – O Primeiro álbum do estilista Fause Haten
Essa é parcialmente recente, Fause Haten já cantava em algumas trilhas de seus desfiles, mas esse ano resolveu fazer diferente (hihihi), o estilista que gravou “Ne me quitte pas” em inglês pra um vídeo da sua campanha de Verão 2011, acabou de lançar um CD, com direito a banda e composições próprias.
O álbum foi masterizado no Abbey Road (estúdio que os Beatles também usaram) lá em Londres e tem até clipe na web já!

#1 Black Label by Alexander McQueen para Samsonite
Quem lembra quando em meados de 2006/2007 o McQueen fez uma linha de malas para Samsonite?
Foram malas, bolsas de viagem e cases pra notebook que na minha modesta opinião eram lindos: esqueletos e couro de crocodilo trabalhados naquele material estruturado da marca e em couro.
Quando eu vi pela primeira vez eu queria todas.
Hm, ok eu continuo querendo.

Eu bem sei que o terceiro e segundo lugar não são necessariamente parcerias, eu considero como por serem em áreas de atuação diferentes das habituais.
Mas alguém mais se lembra de alguma parceria assim não tão recente?

Top 5 – It Bags

O top five de hoje ficou longo, e com uma histórinha de moda em cada modelo. Juro que tentei ser o mais sucinta possível, mas não tá fácil pra ninguém falar do que gosta sem nadar na prolixidade.

#5 – Classic Box

No nosso quinto, porém nada desmerecido lugar, vou contar duas histórias: a primeira é a respeito de uma menina que no auge dos seus 15 anos começou a colecionar catálogos. Colecionar MUITOS catálogos e pedi-los incansavelmente pra várias marcas internacionais por e-mail (vocês que trabalhavam respondendo eles, obrigada pela paciência sempre, seus fofos!). Foi assim que a Céline entrou na minha vida, a marca na época me respondeu super rápido e super atenciosa me mandando vários catálogos (inclusive depois que eu parei de pedir).
Lembro até que um dos meus primeiros desenhos de rostos da faculdade foi em cima de uma foto deles, linda por sinal, parecia uma boneca!
Bom mas voltando ao foco, a Classic Box tem esse aspecto todo retrô, mas é relativamente atual. Tornou-se um dos modelos mais disputados nessas últimas temporadas de moda junto com um outro modelo da marca, e ganhou milhares de edições, além de várias versões inspired aqui no Brasil. O mais legal da Céline é que a marca, inicialmente em 1945, começou fazendo sapatos infantis. A linha de produtos cresceu e virou acessórios e calçados femininos durante os anos 60, e o infantil não existe mais. A empresa francesa foi comprada em 1996 pelo grupo LVMH (que detém pelo menos duas das marcas citadas nesse post) e pela sua equipe de design já passou até Michael Kors, atualmente quem rege a marca é a ex-Chloé, Phoebe Philo, que fez o prestigio da marca voltar desde a saída de Kors.
A segunda história, tem a ver com outro modelo, que vale um empate técnico (na minha modesta opinião). A Constance da Hermès, surgiu em 1959 e nunca caiu no esquecimento, foi o modelo escolhido por Jacqueline Kennedy Onassis pra levar pela vida toda. O nome, dizem alguns sites, foi dado como homenagem ao nascimento do quinto bebe de Robert Dumas-Hermès, já que o dia em que o primeiro modelo foi vendido foi o mesmo que seu bebe nasceu.

#4 – Speedy

Nossa quarta colocada é modesta em seu valor, mas foi a eleita por Audrey Hepburn e é facilmente uma das minhas favoritas (alô você que quiser me presentear, tô aceitando o modelo liso só com um monograma na lateral tamanho 30!). A Speedy é uma interpretação do modelo Travel Keepall da marca, e sua primeira edição foi feita em 1854! Nem existia o modelo com monogramas que só foi introduzido em 1896 pela marca. O corpo da bolsa é feito de algodão egípcio com verniz aplicado, o que a torna totalmente impermeável e as alças são de couro. Por ser um modelo clássico e prático, volta e meia aparece na mão de uma celebridade (e de uma amiga perto de você).

#3 – Lady Dior

A terceira colocada ganhou um update no nome, a antes chamada “Chouchou” recebeu o nome de Lady Dior em meados em 1995, quando a primeira dama da França, na época Bernadette Chirac, ligou para Maison Dior pedindo uma sugestão para presentear a Princesa Diana. A bolsa se tornou seu modelo favorito, e rendeu uma grande visibilidade do modelo, que vendeu quase 100.000 unidades naquela época.
Esse modelo da Dior ganha novas versões sempre, as últimas lançadas pra coleção de Spring Summer da maison são coloridas, tanto em couro quanto em tweed e com o padrão Cannage (o matelassê) estilizado.
A coisa mais linda são as campanhas atuais dessa bolsa, com a atriz Marion Cotillard. Os videos foram dirigidos pelo David Lynch e feitos em quatro cidades do mundo: Paris, New York, Shangai e Londres, ao que tudo aponta a próxima parada será Moscou!

#2 – 2.55

A história do nosso segundo lugar é tão revolucionária como da sua criadora. Coco Chanel disse estar cansada de carregar (e perder) suas bolsas nas mãos e por isso resolveu colocar correntes e levá-las ao ombro, e assim surgiu a incônica 2.55 em fevereiro de 1955. Entre as principais curiosidades da bolsa, as mais intrigantes são em relação ao seu matelassê (e todo seu processo de fabricação) que são manuais e existem mais de 180 processos antes dela ficar pronta, todos passando pelas mãos dos funcionários que trabalham a pelo menos 15 anos dentro da marca para produzi-la, e a fofura de saber que o bolso interno com ziper era para Coco guardar suas cartas de amor, pois na época ela estava tendo um caso amoroso.
Aliás, o modelo não é vendido atualmente pelas lojas Chanel, somente sua irmã mais nova Classic Flap (criada em meados dos anos 80 por Karl Largefeld), sua última edição foi no aniversario de 50 anos do modelo, em 2005, e a maneira mais simples de diferenciá-las é através do fecho: a Classic Flap é o C duplo, enquanto na 2.55 original o fecho é o Mademoiselle, retangularzinho. As alças também são diferentes, na original as alças são inteiras de corrente, enquanto na sua irmã caçula existe o detalhe do couro entrelaçado.

#1 – Birkin

O nosso primeiro lugar é também novinho: foi criado em 1984 e surgiu de uma “reclamaçãozinha” de Jane Birkin durante um vôo, no qual o então herdeiro e diretor da Hermès estava presente.
Jane se queixou de não existir, na época, uma bolsa grande, prática e moderna o suficiente para mulheres levarem suas coisas, meses depois chegou o modelo Birkin em suas mãos e virou uma das maiores vendas da empresa.
O modelo, que tem filas de espera e famosas colecionadoras, pode levar de 2 a 15 dias para ser produzido e também é inteiramente artesanal. O interessante de tudo, além de saber que pelo menos algumas vezes um SAC funciona (mesmo quando é feito com o diretor da empresa), é que o modelo foi inspirado na Kelly, outro modelo da marca, que recebeu esse nome em referencia a Princesa (e atriz) Grace Kelly.

Enquanto eu pesquisava eu reli um textinho falando sobre as dez marcas mais valiosas no mercado de luxo, dessas, três constam na nossa listinha de it-bags o que reforça a importância histórica e os valores desses produtos:
1º Louis Vuitton, valendo US$ 24,3 bilhões (e aumentando 23% do seu valor, que já era primeiro lugar no último ano);
2º Hermès, valendo US$ 11,9 bilhões (mantendo seu segundo lugar no último ano e aumentando 41% do seu valor);
3º Gucci, (que manteve o terceiro lugar, mas perdeu 2% de seu valor de mercado);
4º Chanel, valendo US$ 5,54 bilhões(manteve o quarto lugar, e aumentou seu valor em 23% seu valor)

Ainda na lista em ordem vem a Cartier, Rolex, Hennessy, Möet & Chandon, Fendi e Burberry (que está pela primeira vez na lista).

TOP 5 – Shoes SPFW

Em pleno feriado e a gente resolve por as coisas em dia, e quem disse que fashionista descansa né?

Pra quem não me conhece, eu sou a Mari e estreio agora nossa primeira coluninha fixa aqui no DPFF, o TOP 5!  E como nesse mês nossa agenda de desfiles é atribulada e acabamos de passar pelo principal evento de moda nacional, nada mais justo que começar falando dele, ou melhor, dos sapatos dele!

#5 – Samuel Cirnansck 

O estilista fez uma parceria com a Jorge Bischoff e lançou modelos exclusivos no SPFW: o nosso favorito foi essa ankle boot  de couro com detalhes muy fetichistas, que ganhou nosso quinto lugar aqui no blog!

#4 – Água de Coco

As sandálias pesadas e super coloridas da Água de Coco fizeram meu coração bater rápido: a cara do verão numa cartela de cores bem setentinha, que eu adoro e do jeitinho que eu já queria. Manda um par pra cá jááá!

#3 – Tufi Duek

Eu confesso que sandálias “de tirinhas” não caem no meu gosto pessoal, mas se você der um salto digno e colocar pseudo polainas com uma “rede de pescador wannabe” nelas eu provavelmente cairei de amores, até por que ela nunca vai ser só mais uma sandália. O modelo preto ganhou meu apreço muito rápido!

#2 – Reinaldo Lourenço

Geralmente eu gosto mais de Glória Coelho que de Reinaldo Lourenço, mas vou falar pra você que os decotes de gatinho ganharam um futuro lugar no meu guarda roupas! Desfile todo feminino, delicado e bem poderoso, e os sapatos uniram tudo: delicadeza e muito poder, com brilho e laços dignos de uma diva cinematográfica e um salto wedge confortável, porque ninguém é de ferro.

#1 – Lino Vilaventura

Lino trouxe um sapato digno de todo guarda roupa feminino: toda mulher precisa de um pump pra chamar de seu e esse todo trabalhado com detalhe em tule e solado colorido, digno de processo Louboutinescos, ganhou o amor instantâneo de todos aqui do DPFF e ficou em primeiro lugar.

E vocês, gostaram da nossa seleção ou tiveram outros favoritos?